O que você procura
você está no Hospital Esperança Recife
Hosp Israelita
Hosp Niteroi D'Or
Hosp Assunção
Hosp Norte D'Or
Hosp Badim
Hosp Oeste D'Or
Hosp Bangu
Hosp Quinta D'Or
Hosp Barra D'Or
Hosp Ribeirão Pires
Hosp Bartira
Hosp Rios D'Or
Hosp Caxias D'Or
Hosp SANTA LUZIA
Hosp Copa D'Or
HOSP SÃO LUIZ
Hosp e Mat Brasil
Hosp São Marcos
Hosp Esperança Olinda
Hosp Sino Brasileiro
Hosp Esperança Recife
Hosp Villa-Lobos
Hosp iFor
Hospital Copa Star
HOSPITAL REAL D'OR
Mudar hospital

Releases


12/06/2015 - A importância das vacinas

As vacinas do seu filho estão em dia? Essa é uma pergunta que deve sempre ter resposta positiva, pois é uma importante medida de prevenção. É a partir das vacinas que o organismo cria a defesa necessária contra determinadas doenças provocadas por vírus e bactérias. “As vacinas são desenvolvidas para estimular o sistema imunológico a produzir anticorpos. Uma vez exposto ao vírus ou bactéria, o organismo reage criando defesas, impedindo a infecção”, explica a coordenadora da UTI Neo do Hospital Esperança Recife, Neise Montenegro.

 

Ainda na maternidade devem ser aplicadas as primeiras vacinas do bebê, que são BCG e anti-hepatite B. Essas vacinas protegem contra as formas graves de tuberculose e contra a hepatite B, respectivamente. Neste momento é entregue a mãe o cartão de vacinas do bebê com as recomendações de seguimento vacinal. No momento da alta os pais também recebem um livrinho onde constam informações importantes sobre o nascimento da criança, sobre a amamentação e os cuidados durante os primeiros dias do bebê.

 

Existem vacinas obrigatórias, aplicadas em dose única ou reforços de acordo com a idade. Essas vacinas podem ser por injeção ou via oral. Algumas causam efeitos colaterais, como febre, dor e edema no local da aplicação. “Em geral, os sintomas surgem em até 48h após tomar a vacina e desaparecem em dois dias. O recomendado é acalentar o bebê e compressa fria no local da picada. A limpeza da região apenas com água e sabão neutro na hora do banho de rotina. Caso tenha febre, pode ser utilizado um antitérmico, com orientação médica”, explica a pediatra.

 

Uma série de vacinas deve ser iniciada nos primeiros seis meses de vida e com reforços, conforme recomendações, para garantir uma boa defesa. “Como o sistema imunológico da criança ainda está em formação, é fundamental que os pais sigam o calendário à risca, para proteger os filhos de doenças como tuberculose, coqueluche, difteria, tétano, caxumba, rotavirus, pneumonia e meningite, por exemplo”, explica a médica. Outro alerta que a profissional faz é que a maioria dos pais tem atenção ao calendário vacinal nos primeiros anos de vida, mas esquece de verificar a atualização do cartão de vacinas quando os filhos crescem. Existem vacinas que necessitam de reforços regulares para manter a defesa. É o caso da antitetânica e outras que são recomendadas na adolescência, como a HPV, que protege contra câncer e verrugas. “Vacinação é uma tarefa que não deve ser negligenciada, pois a prevenção é fundamental”, orienta a médica.

 

Além de ser importante para proteger a criança, a vacinação também previne a comunidade, pois evita a proliferação de doenças e auxilia na erradicação, como ocorreu a poliomielite ou paralisia infantil. No Brasil, o último caso registrado data de 1990, de acordo com o Ministério da Saúde.


#RedeDOr #HospitalEsperançaRecife